Uma das mais antigas pastorais, se assim podemos dizer, os coroinhas, tem sua origem antes mesmo do Concílio de Trento (1545), momento em que se estabeleceu a formação dos sacerdotes de forma sistemática nos Seminários.
Os coroinhas eram os meninos, crianças, jovens e adolescentes vocacionados ao sacerdócio que serviam nas celebrações litúrgicas, se aproximavam do sagrado, onde somente o padre poderia estar. Era o único, sendo leigo, que podia se aproximar do Altar.
O Coroinha está intimamente relacionado a Liturgia, faz parte dela, e muito mais do que o “fazer”, o coroinha “é”. Sua presença no Altar junto ao padre faz a liturgia cumprir sua missão de nos revelar o Céu, como o Cristo está em sua Glória rodeado dos Anjos e dos Santos, a nossa Adoração a Deus que se faz pela Liturgia, realiza Sacramentalmente, visivelmente, o que ainda é invisível aos nossos olhos.
Nossa Comunidade conta com 20 coroinhas, entre eles 4 acólitos, meninos e meninas, sendo que os adolescentes são Acólitos, pois recebem uma maior responsabilidade no Serviço do Altar.
O Patrono dos Coroinhas e Acólitos é São Tarcísio, um adolescente que com apenas 12 anos deu a Vida por nosso Senhor, quando levava a Sagrada Eucaristia para os cristãos que estavam encarcerados.
Que São Tarcísio interceda pelos nossos coroinhas e acólitos, vocacionados ao Sagrado, para que cresçam no Amor de Nosso Senhor e respondam ao chamado de Deus sendo padres, religiosos ou religiosas, pais e mães de família segundo o Coração de Deus.